20180607_100933.jpg

HISTÓRIA DE FIÃES

A história de Fiães perde-se no tempo.

No dizer do Pe. Manuel Francisco de Sá, na sua obra “Santa Maria de Fiães da Terra da Feira – Subsídios para a sua História”, “a existência, no termo de Fiães, de uma anta e um velho castro, dá-nos quase a certeza de que este território já era habitado na idade pré-histórica, que medeia entre o aparecimento do primitivo homem e o começo da fase histórica”.

Fiães é um dos mais antigos povoados da Península Ibérica como o demonstram inúmeros vestígios de presença humana desde a pré-história, com destaque para o Castro do Monte de Stª Maria. No cimo de um extenso vale muito fértil - nas margens do Rio Uíma - e de um território muito rico em água, sendo a agricultura a principal atividade económica pré-revolução industrial, Fiães foi claramente o principal centro económico e social da região.

Ao longo dos seus muitos séculos de História, Fiães sempre se destacou no contexto regional em que se insere. O dinamismo do seu tecido socioeconómico guindou a freguesia para lugar de destaque no contexto do município de Santa Maria da Feira.
 

A história mais recente de Fiães dita-nos que, ao longo de todo o século XX, a freguesia demonstrou um assinalável vigor cultural, económico e social. De resto, Fiães foi das primeiras freguesias do município de Santa Maria da Feira (e da região) a possuir rede pública de distribuição de energia elétrica e de telefone. Por outro lado, Fiães notabilizou-se, ainda, por ser sede de alguns dos mais emblemáticos e importantes estabelecimentos de ensino da região.

Fruto desta preponderância local foi, já nos séculos XIX e XX, berço de inúmeros padres, professores, médicos e funcionários públicos – “terra de doutores”, como era conhecida popularmente - dando origem a uma marcante atividade intelectual, cívica e política que, em boa verdade, se mantém até aos dias de hoje. Talvez, resultado dessa singular forma de estar e intervir na vida pública, Fiães é, ainda hoje, a freguesia do Concelho de Santa Maria da Feira com mais presidentes da Câmara: Elísio Pinto de Almeida Castro (1869-1956); António Ferreira Pinto da Mota (1863-1922); Domingos da Silva Coelho (1930-2008), e o atual presidente de Câmara, Emídio Ferreira dos Santos Sousa.

De resto, a riqueza do pensamento político já se fazia sentir nos prelúdios da fundação da República. Com efeito, era na casa do Dr. Elísio de Castro que Afonso Costa e a corrente republicana reuniam frequentemente e conspiravam contra a Monarquia, e foi também por essa razão que locais como a “Quinta da Cavacada” e, mais tarde, já durante o Estado Novo, a “Casa do Inspetor”, adquiriram o estatuto de locais emblemáticos e de referência na histórica da luta política. A “Casa do Inspetor” acolherá em breve as novas instalações da Junta de Freguesia de Fiães.

Elevada à categoria de vila a 24 de setembro de 1985, a freguesia de Fiães demonstra, também, uma forte dinâmica demográfica.


Todo este legado histórico, aliado ao forte dinamismo económico, social e cultural revelado pela freguesia sustentaram e fundamentaram a elevação de Fiães à categoria de cidade, estatuto esse obtido em 19 de abril de 2001.